Qual a importância de um aterramento


Aterramento é mais importante do que muita gente imagina. É bom entender o que garante um bom funcionamento da sua rede elétrica. A principal função do aterramento é o escape para um local seguro, de energia dispensável . Seja por motivos de segurança, seja para efeitos de melhoria acústica, ou como meio de prolongamento da vida útil de equipamentos. É o condutor cuja função é conectar à terra todos os dispositivos que precisarem utilizar seu potencial como referência.

Abaixo, reproduzimos a entrevista do professor Samuel César Mota de Paula do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG).

Quando realizado de forma correta, o sistema de aterramento é um dos fatores fundamentais que garantem o bom funcionamento de uma instalação elétrica, principalmente no que diz respeito à confiabilidade e segurança do sistema. O professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG), doutor Samuel César Mota de Paula, explica na entrevista a seguir a importância de se projetar e montar um sistema de aterramento adequado e seguro.

Prysmian Club: Qual a finalidade da implantação de um sistema de aterramento?

Samuel César Mota de Paula: O sistema de aterramento é necessário para o adequado funcionamento do sistema elétrico (geração, transmissão e distribuição de energia), além de garantir o bom funcionamento de equipamentos eletroeletrônicos e eletromecânicos, e de assegurar a proteção de pessoas e de edificações.

PC: Quais são os principais cuidados que se deve ter para realizar um sistema de aterramento seguro?

SCMP: Primeiramente, é preciso que o projeto do sistema de aterramento seja realizado por um engenheiro que detenha conhecimentos técnicos nesta área. Além disso, é fundamental que o projeto seja realizado de forma que obedeça às normas ABNT NBR 5410, 5419 e NR 10, entre outras que se fizer necessário. Para o adequado funcionamento do aterramento, deve-se fazer um estudo das condições de resistividade do solo do local em que será construído o aterramento. A partir deste estudo é que deverá ser projetado o aterramento elétrico quanto a sua geometria (malhas, cabos, hastes, etc). No entanto, algumas vezes o sistema de aterramento é feito somente depois que a obra é finalizada, fator que pode acarretar sérias dificuldades na hora da executação do estudo das condições de resistividade do solo, comprometendo o desenvolvimento do projeto.

PCQuais são os itens necessários para se realizar um aterramento 100% seguro?

SCMP: Pode-se desenvolver o projeto dentro dos critérios estabelecidos pelas normas de segurança vigentes no Brasil. Por exemplo: no caso de eliminação de distúrbios elétricos (que podem ser: descarga atmosférica, falha de algum equipamento, surtos de manobra, etc.), espera-se que o aterramento elétrico deixe escoar para a terra estes distúrbios dentro dos limites aos quais ele foi projetado; caso contrário, o aterramento não será capaz de proteger o equipamento elétrico, causando danos ao patrimônio e às pessoas e animais. Assim, quanto maior for o grau de segurança do sistema de aterramento, maior será o investimento. Os itens necessários para um bom aterramento são:.
1 – Seguir as orientações das normas de segurança vigentes no Brasil
2 – Fazer o estudo do solo aonde será construído o aterramento (estratificação do solo em camadas)
3 – Utilizar um bom software de simulação para verficar o efeito indutivo e as várias geometrias possíveis para o projeto do aterramento
4 – A construção do aterramento deve ser feita por pessoas qualificadas para este tipo de serviço
5 – Normalmente, utiliza-se cabos de cobre interligados com hastes de aço, com cobertura de cobre e conexões adequadas para estas uniões
6 – Após o término da construção do aterramento, deve-se medir periodicamente as tensões ao longo da superfície do solo e a sua resistência

PC: O sistema de aterramento varia dependendo do terreno e do tipo e tamanho da construção? Por quê?

SCMP: Sim, o ideal é que aquilo que queremos proteger faça parte do aterramento elétrico. Por exemplo, quando se quer proteger uma edificação contra descargas atmosféricas é preciso fazer o aterramento circundar toda a edificação, ou seja, a edificação está dentro do aterramento elétrico e, neste caso, os potenciais internos ao aterramento tendem a ser praticamente uniformes, não gerando diferença de potencial perigosa para o que estiver dentro do aterramento (equipamentos, pessoas e animais).

Outro caso interessante é quando se tem um solo com alta resistividade, como no caso de instalações de torres em lugares altos, muitas vezes formados por rochas. Nesta situação poderia-se utilizar um aterramento com a configuração radial a partir da torre e cabos envolvidos em concreto, que é um material higroscópico (absorve a umidade, abaixando a resistividade em volta dos cabos, sendo equivalente a um “tratamento” em torno deste eletrodo), facilitando assim a dissipação da corrente para o solo.

http://www.housepress.com.br/siteprysmian/eletricistaprofissional/entrevista.asp?marcador=ATERRAMENTO”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

close
Facebook Iconfacebook like buttonTwitter Icontwitter follow button